Plano de Emergência

De acordo com as directrizes da IFLA para a conservação e o manuseamento de documento de biblioteca, o plano de emergência deve ser redigido em linguagem bastante clara, acessível e concisa, de forma a que seja bem compreendido por todas as pessoas envolvidas. Exige uma actualização sistemática que deverá ser definida, devendo as cópias ser arquivadas dentro e fora das instalações.
O plano de emergência deverá prever a evacuação de espécies documentais e de pessoas do edifício.

Por norma, o plano de emergência contempla cinco fases distintas, designadamente:

  1. Avaliação do risco - identificação dos perigos inerentes aos edifícios e às colecções que albergam (ameaças internas / externas);
  2. Prevenção - implementação de medidas que eliminem ou reduzam os perigos existentes;
  3. Resposta - concepção e apresentação, por escrito, de um plano visando a capacidade de resposta e a recuperação;
  4. Reacção - procedimento a adoptar no caso de ocorrência de acidentes;
  5. Recuperação - reabilitação dos locais do acidente e restauro dos materiais danificados, restituindo-lhes a condição de estabilidade e capacidade de uso.
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License