Laboratório de Conservação e Restauração de Documentos Gráficos do Cedoc Unb

Métodos, técnicas e materiais de desacidificação aquosa num acervo documental gráfico empregados no Laboratório de Conservação e Restauração de Documentos Gráficos do CEDOC UnB1

Exemplificados através do relato das desacidificações aquosas efectuadas nas obras da colecção “Da Ásia, décadas”, escrita por Diogo de Couto e João de Barros, no período de 1768 a 1778, (23 volumes) do acervo da Biblioteca Académico Luiz Viana Filho do Senado Federal obtidas através de convénio entre as duas instituições.

Materiais e Métodos
Toda a colecção “Da Ásia, décadas” encontra-se em suporte de papel trapo. Não havia presença de insectos mas furos e rendilhados (30%), causados por estes em infestações anteriores, que estavam cobertos por papel amarelado e uma cola de difícil remoção. Para remover as intervenções anteriores e preparar os volumes para
obturação mecânica do papel (uso de MOP), houve consenso entre os profissionais envolvidos no projecto pela lavagem dos volumes. Após prévia higienização, as obras foram submetidas à desacidificação aquosa, ou “banho” das folhas que consistiu em:

  1. Teste de solubilidade das tintas presentes no suporte no material aquoso;
  2. Separação das folhas do papel, numeração e desmonte do livro;
  3. Imersão das folhas em água deionizada morna (aproximadamente 45°C) para retirada das intervenções anteriores;
  4. Imersão do papel, em água deionizada: imersão em água deionizada morna (aproximadamente 38°C), seguido de imersão em outra cuba com água deionizada fria (aproximadamente 23°C) e consequente imersão em outra cuba contendo solução alcalina à base de carbonato e hidróxido de cálcio (aproximadamente pH 8,5);
  5. Secagem do papel;
  6. Planificação e montagem (união) das folhas;
  7. Montagem das folhas na Máquina Obturadora de Papéis (MOP) para preenchimento dos furos e rendilhados causados por insectos e reencolagem com polpa de papel da mesma cor e dímero de alquilceteno (cola AKD).

Resultados após este tratamento
Após a secagem auferida aos volumes denotou-se uma redução na aspereza da superfície do papel do livro, factor que dificulta a adesão de partículas presentes no ar atmosférico; branqueamento do papel2 em virtude da limpeza e aumento da alcalinidade; e aumento da sua maleabilidade. O papel amarelado e a cola presente no suporte revelaram-se removíveis em água quente, o que permitiu um resultado estético melhor às folhas dos livros.

A título de conclusão pode-se referir que o processo de desacidificação aquosa efetuado nos 23 volumes da coleção “Da Ásia, décadas”, provou-se eficaz no rejuvenescimento das suas folhas de papel atribuindo-lhes mais anos de vida.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License