Diagnóstico

O diagnóstico deverá ser encarado como a primeira etapa de todo o processo de conservação, uma vez que poderá ser realizado um levantamento detalhado das condições físicas de cada documento/publicação.

É essencial e decisivo para a definição e planeamento das actividades de conservação, de qual o documento que deverá ser tratado em primeiro lugar, bem como, qual será seleccionado, baseado na relevância/importância da publicação para a instituição e a disponibilização do documento. Para tal, é necessário um conhecimento profundo dos "bens" de forma a que sejam levantadas e identificadas as causas de deterioração dos componentes e as necessidades específicas do documento ou de todo o acervo.

Associado a esta fase é realizada a avaliação técnica do acervo, onde poderão ser observados:

  • Condições gerais das obras e dos documentos;
  • Condições gerais da exposição do acervo a diveros factores, tais como: luz, poeira, microorganismos, temperatura ambiental e humidade relativa;
  • Condições gerais de armazenamento;
  • Acondicionamento e protecção;
  • Sinais de actividades de microorganismos e insectos;
  • Entre outros.

Após o diagnóstico auferido às obras/documento é definido o tratamento a ser aplicado: higienização, restauração, encadernação e acondicionamento.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License